Yara se apresenta a partir do dia 11, na Galeria Errol Flynn com uma grande exposição que reúne um total de 104 trabalhos feitos ao longo de sua carreira, desde 1957.
A exposição é apresentada por Olívio Tavares de Araújo, Enock Sacramento e Carlos Perktold. Além de um texto da própria artista, dando-nos um rumo do que será exposto, como um roteiro de sua carreira.

Como todo jovem artista de meu tempo, comecei a desenhar sob a orientação de Guignard, no Parque Municipal de Belo Horizonte.
Ali aprendemos a ver a diferença das folhagens das árvores, o movimento dos galhos e a presença de pessoas neste cenário bucólico. Isto nos anos 1955 e 56. Depois, já dentro da escola, exercitamos o desenho com o modelo vivo e o desenho de criação, a partir da memória de nossa vivência.
A consciência de que Minas seria meu grande tema aconteceu à medida que fui criando painéis históricos, e isto me fez trabalhar sobre ícones de nossa cultura: figuras de bandeirantes, índios, figuras da história, santos, oratórios, flores do sertão, cidades, objetos encontrados em antiquários e que pertenceram a nosso passado. Conhecer o Vale do Jequitinhonha em uma viagem de estudos me faz trazer de lá figuras de tecelãs, ceramistas, crianças do Vale e objetos produzidos pelo povo.
A presença de uma Minas moderna se faz através da série de Siderurgia.
Meu contato com a natureza é renovado quando inicio uma série ecológica, visitando regiões diversas e querendo mostrar a diversidade importância de nossa flora: a presença no Vale do Tripuí, na Floresta do Vale do Rio Doce, nos Campos Rupestres da Serra do Cipó, na natureza trabalhada no Inhotim e, finalmente, fechando este ciclo, uma visão de nossos parques municipais: a natureza usada por todos.
As vivências com artistas que amo levaram-me, também, a apropriar-se de algumas de suas figuras, inserindo-as no ambiente de meu ateliê.
Este é um pequeno roteiro que serve à presente exposição, evidentemente com ausências de outros períodos, pela impossibilidade de encontrar meus quadros de fases diversas, espalhados pelo Chile, Argentina, São Paulo, New York, Paris, Londres, Tóquio, Milão e muitas cidades brasileiras.

A exposição estará aberta na Galeria Errol Flynn no endereço Rua Curitiba, 1862, Lourdes, Belo Horizonte/MG
De segunda à sexta no horário de 09 às 19h