Yara Tupynamba - A Imprensa

A artista plástica Yara Tupynambá e sua equipe começaram a restauração do painel “A Imprensa – Guerra e Paz”, que ocupa uma parede na sede do Sindicato. O painel foi o primeiro pintado pela artista, em 1966, e, segundo a autora, mostra “a profissão do jornalista, que é levar a notícia para o mundo”. A restauração dará origem também a um catálogo sobre a obra.

Esta é a segunda e maior restauração pela qual passa o painel. A primeira aconteceu em 1995, mas limitou-se a uma limpeza. Desta vez, a pintura está sendo refeita e estragos na madeira estão sendo recuperados. Um dos desafios da artista é em relação à tinta emborracha usada no trabalho, que não existe mais. Com isso, a obra passará a conter, segundo Yara, duas pinturas, a original e a nova.

Obra gráfica

Com cerca de cinco metros de largura por três de altura, o painel foi pintado numa técnica que não se usa mais, segundo Yara Tupynambá. Primeiro, foi pintado o fundo, conta tinta branca, e em seguida as imagens, com tinta preta. Por fim, a pintura foi toda riscada com gilete, o que lhe dá uma aparência de xilogravura.

“É uma peça totalmente gráfica”, comentou Yara, que na época da pintura era professora de gravura e xilogravura na Escola de Belas Artes da UFMG. “Eu não usava cor na época. É uma obra gráfica, condizente com o trabalho do jornalista”, acrescentou.

Para pintar o painel, a artista foi ao jornal Estado de Minas pesquisar e conhecer o maquinário usado para imprimir jornais e revistas. A pintura mostra uma sequência de cenas, começando pelo trabalho dos jornalistas apurando os fatos e fotógrafos registrando imagens. Outra cena mostra populares discutindo as notícias, que naquele momento se referiam à Guerra do Vietnã. “Hoje seria o Estado Islâmico”, compara a artista.

Há ainda cenas mostrando equipamentos e cenas da época, que já desapareceram: uma linotipo, uma rotativa e jornaleiros vendendo jornais na rua. “Era assim que o público tomava conhecimento das notícias, pelos meninos que ficavam nas ruas gritando ‘Extra! Extra!’ e vendendo jornais”, recorda Yara.

Tradição

Tudo isso torna o painel também um documento histórico, além de ser uma importante obra de arte de uma das maiores artistas plásticas de Minas Gerais. Sua restauração era um dos objetivos da atual diretoria do Sindicato.

“Desde o início da nossa gestão tínhamos esta preocupação”, disse o presidente Kerison Lopes. “A restauração demorou, mas está sendo feita, por meio de uma ação conjunta da artista Yara Tupynambá com o Banco Mercantil do Brasil”, informou.

Kerison ressaltou que o painel enriquece o Sindicato. “É uma tradição em todo evento que acontece aqui as pessoas tirarem foto tendo o painel como fundo. Vai ser ainda melhor com o painel restaurado”, disse.


Na foto, a artista plástica Yara Tupynambá trabalhando na restauração do painel “A Imprensa – Guerra e Paz”. 

(Crédito da foto: Kerison Lopes.)

Artigo extraído do site do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais